[Resenha] Na porta ao lado – Luiza Trigo

Na-porta-ao-lado

ISBN: 9788579802478

Ano: 2015

Páginas: 256

Língua: Português

Editora: Rocco – Rocco Jovens Leitores

Preço Médio: 25,00

Sinopse: A Carol tem mania de fazer listas. Escreve sobre tudo: livros favoritos, melhores momentos das férias, músicas prediletas, frustrações… Mas nunca pensou que registraria em suas listas novidades tão surpreendentes: o casamento de sua mãe com o namorado; a mudança da casa onde viveu por 15 anos e guardava as memórias do pai; a vida sob o mesmo teto que o padrasto e seu filho insuportável. Gente, total inferno! Mas a Carol conta com o apoio das suas quatro amigas – Bia, Pri, Amanda e Beta –, com as quais pode desabafar e se divertir. Vocês bem sabem como elas são boas nisso, né?! E se o clima em casa está ruim, ainda bem que na escola não acontece o mesmo, principalmente depois da chegada de um novo aluno que irá mexer com o seu coração. Leia os primeiros capítulos.

Tem coisa mais gostosa que ler um livro e além de se identificar com os personagens você também poder voltar no tempo? Com Meus 15 anos rolou essa vibe, mas em Na Porta ao lado foi bem mais forte! A protagonista ama ler, por conta de sua cor favorita… e ela é a louca das listas. Para completar, ela tomou gosto por correr algo que eu amava quando tinha sua idade. Bem, tirando essa última que não faço mais por conta do joelho e preguiça de fazer um treino de fato rs, me vi e muito na Carol.

A Luly mais uma fez um trabalho bacana. Mais do que mostrar uma etapa turbulenta na vida da Carol, senti que sua escrita amadureceu junto com sua personagem. As garotas agora estão fazendo 16… Foi algo meio Harry Potter para mim. Ao longo da série você sente como a JK vai amadurecendo também, não só os personagens.  E sim Luly, quando você ler essa resenha, sabia que estou mais que pronta para conhecer mais um pouquinho de cada um. Se com a Bia e a Carol eu me identifiquei demais, nem imagino o que vem por aí.

Não sou parte do público alvo do livro, mas sou apaixonada por histórias infanto-juvenis e juvenis. Não é só por ter síndrome de Peter Pan como alguns amigos costumam comentar, mas provavelmente ter passado para tramas tão mais densas quando ainda muito nova. Sou fã dessa parcela do mercado e dos escritores que como a Luly tratam seus personagens adolescentes com simplicidade e honestidade.

Quem acompanha o canal, lembra do que eu falei no vídeo “Chega de Mimimi literário?’ – é só clicar aqui para assistir ao vídeo – Adolescentes não são incapazes. E o fato de viverem tudo bem mais à flor da pele não fazem deles personagens vazios ou mimimizentos. Alguns como Katniss enfrentam algo muito maior, mas o dia-dia é desafiador demais. Passar por mudanças é sempre complicado. Se para os adultos é difícil seguir em frente quando nos afastamos daquilo do que estamos acostumados, imagina para uma adolescente?

A Carol vai iniciar um ano bem complicado: Se mudar de sua casa, seu porto seguro. A casa em que foi criada com muito amor por seus pais e viveu toda a vida, vai ver sua mãe se casar com outro homem, ter que se acostumar com uma nova estrutura familiar e se não bastasse, sua rotina da escola e sua vida vão ficar bem mais movimentadas que esperava. Como é que ela vai reagir a tudo o que acontece?

Amei o livro, pois apesar de soltar vários “A bichinha rapaz!” e pensar em puxar a orelha da Luly, a Carol mesmo com pouca idade foi aprendendo a lidar com cada nova – e nem sempre agradável – situação. Como a gente costuma brincar por aqui, ela não ficou sentada no meio fio chorando até que alguém resolvesse a situação. Isso é algo extremamente positivo. Adolescentes não são incapazes – acredito que vou viver batendo nessa questão eternamente! – e personagens femininos não precisam que tomem decisões por elas. Não precisa ser salva. Ela pode sim, tomar suas próprias decisões. E nenhuma de suas atitudes se torna adulta demais. Mais uma vez me vi voltando a adolescência, batendo papo, apoiando, sofrendo e comemorando junto com minhas amigas.

Nos livros da Luly, enquanto leio, sempre rolam uns “quem nunca?”. E isso em diversas situações. Afinal, se não aconteceu com você, aconteceu com uma amiga, uma conhecida… é muito gostoso. Não tem preço ficar com a cabeça cheia de lembranças pós leitura!

O final vai dar o que falar e surpreender muita gente. E vou dizer: Quando acabei estava com um sorriso enorme no rosto. A Luly não conseguiu apenas fazer uma história bacana e divertida, ela também abre espaço para mostrar que as garotas de seu público alvo podem sim e devem dar valor aos seus amigos, sua família e a seguir sua mente e seu coração e não esperar que o príncipe encantado apareça para salvar o dia. Elas mesmas podem fazer isso, muito bem e obrigada.

Ah, nem preciso dizer que a diagramação e as ilustrações do livro estão maravilhosas, né? A Irena arrasa!

Obrigada por apresentar essa turma bacana pra gente Luly. E por me fazer voltar no tempo com tanta força que foi fácil trocar Bush por Blur! Rsrsrsrs  (vocês vão entender isso m breve!) Volte sempre, afinal, além de muitos abraços gostosos, temos bolo de rolo! Ah, e brownie babado também rsrsr

Para ler a resenha de Carnaval, primeiro livro da Luly – clique aqui

Para ver o vlog do lançamento de Meus 15 anos – Clique aqui

Para ver o top 4 livros nacionais de 2014  – Clique Aqui –  Meus 15 anos está na lista.

Para ver as fotos do evento de lançamento de Na Porta ao Lado em Recife – clique aqui

O vlog do lançamento será postado em breve! Se inscrevam em nosso canal – clicando aqui! – afinal quem se inscreve assiste todos os vídeos em primeira mão! 😉

XoXo

Favoritos do mês de Maio #2DB

capa02

 

 

Alguém pede para 2015 desacelerar? Já estamos na metade de 2015 gente! Tô igualzinha ao Chocked cat! hahaha

shocked-cat-o

Quer saber quais foram os nossos favoritos do mês de Maio? Então clica no vídeo e assiste! Só não esqueça de dizer quais são os seus favoritos do mês pra gente também! 😉

Resenha: Carnaval – Luiza Trigo

carnaval

ISBN: 9788579801051 

Ano: 2012

Páginas: 152

Editora: Rocco

Preço médio: 23,00

Ebook: 15,00

SINOPSE: Gabi decide passar o carnaval com as primas no Recife: praias, música, amigos, sol, diversão… A receita ideal para Gabriela curar a dor de cotovelo depois de ver o ex-namorado beijando uma garota. Para falar a verdade, ela nem gostava mais dele, e era capaz de enumerar seus defeitos sem pestanejar; mas vê-lo assim aos beijos mexeu com o coração da menina. Decidida a esquecer o ex de uma vez, Gabi faz as malas e deixa o Rio para uma semana de muita curtição no Nordeste. Ela só não contava com a possibilidade de se apaixonar de verdade em pleno Carnaval!

Fiquei conhecendo o livro através de Mirela, já que conta a história de uma garota que vai passar o carnaval em Recife. E depois do vlog que ela fez no lançamento de Meus 15 Anos, último livro da autora, fiquei ainda mais curiosa para ler essa história, que eu sentia que ia ser super fofa. E não me decepcionou.

Quando Gabi decide ir curtir o carnaval em Recife, ela não quer nada além de se divertir. Seu último relacionamento não terminou da maneira mais agradável e isso a faz colocar uma coisa na cabeça; Gabi não irá se segurar. Irá beijar quem ela quiser, curtir todas as festas e bloquinhos com suas primas Ju e Bel, afinal, é carnaval. Mas, é claro que seu coração não aguenta tanto tempo assim e logo ela se interessa muito por um dos amigos das primas.

Felipe é tudo que Gabi gosta em um garoto; gosta de cinema, artes, dos mesmos autores, além de ser uma graça. Quando se conhecem, Felipe está envolvido com uma garota chamada Paty e isso a deixa um tanto triste, mas não o suficiente para não começar um romance de carnaval com Pedro. Só que Pedro é do mesmo ciclo de amizade que Felipe, o que torna tudo muito mais complicado e irá fazer o carnaval de Gabi não ser esse mar de rosas todo.

Sem querer dar spoiler demais sobre o que acontece nesses dias de carnaval, vou dizer o que achei num geral sobre o livro. Como mencionado no início da resenha, o livro é super fofo e divertido, desses que você começar a ler e nem sente o tempo passar. Eu levei umas três horas para terminar Carnaval, já que é um livro de linguagem fácil, história bem desenvolvida e nada cansativo. Definitivamente uma leitura para as férias (ou para a semana de Carnaval se fosse for avessa à folia, como eu).

A parte que eu mais me divertir durante a leitura foi a visão de Gabi sobre as primas e amigos pernambucanos, como a autora colocou o jeito do pessoal de Recife falar e as inúmeras referências que, mesmo se você não for de lá, mas tem amigos pernambucanos, vai identificar na hora. Diversas vezes eu me senti conversando com Mirela, ou as outras meninas de Recife, dando boas risadas em trechos como:

treecho

Sala de Justiça é uma festa que acontece antes do Carnaval, em que as pessoas vão fantasiadas e eu já ouvi muito minhas amigas de Recife falar sobre ela. Esse tipo de coisa – quando eu reconhecia um bairro que ela citava ou uma expressão que as primas falavam – que me fez curtir ainda mais o livro. Eu me sinto como Gabi quando estou visitando as terras pernambucanas e bateu saudade das meninas de lá, desse sotaque gostoso.

O livro termina te deixando querendo mais, muito mais e, notícia boa: teremos continuação! Já estou ansiosa querendo saber se amor de Carnaval sobrevive a quarta-feira de cinzas ou não…

Beijos 🙂