[Resenha] Caixa de Pássaros, Josh Malerman

caixadepassaros

 

ISBN: 9788580576528

Ano: 2014

Páginas: 272

Língua: Português

Editora: Intrínseca

Preço médio: R$ 28,00

Sinopse: Romance de estreia de Josh Malerman, Caixa de pássaros é um thriller psicológico tenso e aterrorizante, que explora a essência do medo. Uma história que vai deixar o leitor completamente sem fôlego mesmo depois de terminar de ler. Basta uma olhadela para desencadear um impulso violento e incontrolável que acabará em suicídio. Ninguém é imune e ninguém sabe o que provoca essa reação nas pessoas. Cinco anos depois do surto ter começado, restaram poucos sobreviventes, entre eles Malorie e dois filhos pequenos. Ela sonha em fugir para um local onde a família possa ficar em segurança, mas a viagem que tem pela frente é assustadora: uma decisão errada e eles morrerão.

Infelizmente já começo essa resenha comentando o quão decepcionada fiquei com o livro. Mas ele é bem escrito? Sim. Diagramação, algum tipo de problema na edição do texto? Também não. Eu até imaginei que a falta de emoção – sim, esse foi o problema – fosse a tradução, mas certamente ela estava distante de estar ruim.

O livro que infelizmente não me fisgou.

Como comentei a escrita do livro é boa, em terceira pessoa, e nos permite uma visão muito mais ampla desde que o caos vem se espalhando por todo o mundo e como as coisas estão ao redor da Malorie, antes mesmo da chegada de seus dois filhos ao mundo. Outra coisa que achei bem interessante da escrita é que ao longo do livro, ela vai ficando mais agoniada/afobada, o que dá um ritmo bem interessante a história. A proposta não é lá inovadora. Você tem medo do escuro? Espero que não. Pois é no escuro que os personagens vão sobreviver. E as ligações com o mundo também vão se perdendo… e pegando a carona, eu, como leitora, também fui perdendo o interesse.
Sinceramente, sou a pessoa mais frouxa do mundo. Certos livros já conseguiram me deixar perturbada e sem conseguir dormir direito por dias, e isso mesmo depois de velha, ok? Não tenho vergonha de assumir isso. Mas se tem algo que eu amo, por mais perturbada que acabe ficando, é terror psicológico. Não, não tenho estômago para terror gore. Não curto mesmo. Mas o psicológico… Ah! Eu adoro! E este livro é vendido como um excelente suspense/terror psicológico. E eu não senti absolutamente nada além de tédio. Não existe frustração maior para mim que não me importar com um personagem apresentado da história.
É interessante que a escrita venha com um elemento surpresa no final, mas sinceramente achei tão piegas… Tão bobo…

Sendo um livro de estréia de Josh Malerman, digo sim que é um livro que está na média. Seria realmente injusto dizer que a escrita não é boa, que a ideia do livro não é bacana. Tanto é que conquistou fãs mundo à fora. Acredito que o tamanho da minha empolgação para ler o livro foi proporcional ao baque de achá-lo sem graça! rsrsrs

Uma pena, mas as vezes é assim mesmo, né? Aquele livro que todo mundo amou não era seu número.

XoXo