[RESENHA] Por Lugares Incríveis – Jennifer Niven

Por Lugares Incríveis

 

Existem diversos tipos de livros, para cada tipo de gosto e cada um com um objetivo .

Existem aqueles para fantasiar, para nos desligar do mundo atual, para nos aventurar em terras que tudo é possível.

Existem aqueles para se apaixonar, para amar, para sonhar.

Existem aqueles para sorrir, entreter e deixar a vida mais leve.

Enfim, a lista é enorme, e onde eu estou querendo chegar com tudo isso?

Dizer que também existe aquele livro que é um soco de realidade, que nos faz enxergar a vida diferente, que vem para abrir nossos olhos para uma realidade negligenciada. Sim, caros leitores, esse livro é desse tipo, e o pior – ou melhor – é que ele começa de forma bem inocente, parecendo mais uma história de amor problemática entre dois jovens.

 

“Não sou perfeita. Tenho segredos. Sou uma bagunça. Não só meu quarto, mas eu mesma. Ninguém gosta de bagunça. As pessoas gostam de Violet que sorri.” – Violet em Por Lugares Incíveis.

 

E mesmo tendo sido avisada por vários leitores que ele iria me fazer chorar e já imaginando qual seria o final, nada foi suficiente para me preparar emocionalmente para o que esse livro representa, porque ele vai muito além de sua história, ele vai descascando nosso coração aos poucos, com cada palavra, com cada forma de expressão e frases.

 

“Não mais enraizada,, mas dourada, fluida. Sinto mil capacidades brotarem em mim.” – Violet em Por Lugares Incríveis.

 

Não me apaixonar por esses dois personagens foi impossível. Me envolver com a trama foi automático, e largar o livro para dormir? Nem pensar!

Precisava saber onde tudo ia dar, a trama foi toda amarrada de forma a ser revelada aos poucos, com todo o cuidado de uma escrita leve e ao mesmo tempo intensa. Doce, mas também amarga.

 

“Aprendi que existem coisas boas no mundo, se você procurar por elas. Aprendi que nem todo mundo é uma decepção, incluindo eu mesmo, e que um salto a 383 metros de altura pode parecer mais alto que uma torre do sino se você estiver ao lado da pessoa certa.” – Finch em Por Lugares Incríveis.

 

Pensei bastante antes de escrever está resenha, me perguntava como iria indicar esse livro se ele partiu meu coração em mil pedaços?

É um livro com tema forte e nada do que eu poderia escrever iria fazer jus ao seu conteúdo. No incio da leitura, imaginei que seria um livro suave e fofo, pois ele tem uma escrita bem agradável e simples e ao desenvolver da trama fui ficando cada vez mais presa. Fui conhecendo Finsh e suas idéias, seu modo de pensar e me apaixonei perdidamente. Cada palavra e cada diálogo vai sendo explorado de forma incrivelmente cativante. Acabei lendo tudo em um dia.

A verdade é que esse livro me tocou de uma forma diferente, em lugares pouco visitados de minha mente, me fez querer olhar para as pessoas de outra forma, mas também me abril para novos sentimentos, para sentir tudo verdadeiramente.

A forma como Finsh saboreia cada palavra é no mínimo inspirador.

 

“E se a vida pudesse ser assim? Só as partes felizes, nada das horríveis, nem mesmo as minimamente desagradáveis. E se a gente pudesse simplesmente cortar o ruim e ficar só com o bom? – Finch em Por Lugares Incríveis.

 

Pressão, perdas, negligência, separação, bullying, adolescência, sonhos…

O livro é duro, porque aborda vários assuntos fortes e um deles é o Transtorno Mental e Emocional (depressão, ansiedade, instabilidade mental ou pensamentos suicidas).

A mente é algo incrível, capaz até de nos prejudicar. É certo que a ciência ainda esta tentando desvendar esse labirinto que é nosso cérebro e que ainda temos que fazer muitos avanços nessa área, mas esses transtornos podem ser tratados, sim!

Mas infelizmente ainda existem muitos tabus em cima dessa doença, tanto por quem sofre desse mal, que acaba com medo de ser taxado de “doido” ou por conta da sociedade, inclusive da própria família, que faz pouco caso, acham que é “frescura”, não dão a importância necessária para essa doença que é tão grave quanto o câncer. Exagero? Não, elas atacam de forma diferente, mas são tão devastadoras quanto.

 

Não são muitas pessoas que diriam isso de mim, mas um ponto positivo da vida é que podemos ser alguém diferente para cada pessoa. – Finch em Por Lugares Incríveis.

 

Cada individuo é único em sua complexidade, essa é a magia da natureza, então porque julgamos os outros com base no que nós vivenciamos?

E foi esse o ponto mais crucial do livro, ele nos da uma nova perspectiva. Abre nosso leque de mundo. Nos faz sentir e compreender um pouco como se sentem as pessoas que sofrem com qualquer um desses transtornos, mas só quem já passou/passa é que sabe realmente como é ser escrava de sua própria mente.

 

“As vezes as coisas são como verdade para gente, mesmo que não sejam.” – Finch em Por Lugares Incríveis

 

A história começa com dois jovens que se conhecem em uma tentativa de suicídio, e é a partir daí que esses jovens passam a se conhecer e uma vontade de ficar junto começa a surgir.

Eles se juntam para fazer um trabalho de geografia e acabam descobrindo muito mais do que os lugares incríveis no estado onde moram: a vontade de salvar um ao outro e continuar vivendo.

Mas será isso suficiente para curar todas as feridas que habitam seus corações?

 

 

 

“A cada quarenta segundos, alguém no mundo se suicida.”

Não guardem tudo para vocês, conversem com alguém. Se abram. Se não existe essa opção em casa, procure amigos, existe muitos grupos de apoio, usem a internet a seu favor.

Uma opção é o CVV – Centro de Valorização da Vida, que realiza apoio emocional e prevenção do suicídio, atendendo voluntariamente e gratuitamente todas as pessoas que querem e precisam conversar, sob total sigilo por telefone, email, chat e Skype 24 horas todos os dias.

 

“Se você acha que algo está errado, fale.

Você não está sozinho.

Não é culpa sua.

Existe ajuda pra você.”