[RESENHA] Graffiti Moon, Cath Crowley

Graffiti Moon

 

ISBN: 9788565859226

Ano: 2014

Páginas: 240

Língua: Português

Editora: Valentina

Preço Médio: 24,90

Sinopse: Uma aventura emocionante e perigosa como um grafite clandestino. Uma noite de arte e poesia, humor e autodescoberta, expectativa e risco e, quem sabe, amor verdadeiro.

Um artista, uma sonhadora, uma noite, um significado. O que mais importa?

O ano letivo acabou, aliás, o último ano do ensino médio. Lucy planejou a maneira perfeita de comemorar: essa noite, finalmente, ela encontrará o Sombra, o genial e misterioso grafiteiro, cujo fantástico trabalho se encontra espalhado por toda a cidade. Ele está de spray na mão, escondido em algum lugar, espalhando cor, desenhando pássaros e o azul do céu na noite. E Lucy sabe que um artista como o Sombra é alguém por quem ela pode se apaixonar — se apaixonar de verdade.

A última pessoa com quem Lucy quer passar essa noite é o Ed, o cara que ela tem tentado evitar desde que deu um soco no nariz dele no encontro mais estranho de sua vida.

Mas quando Ed conta para Lucy que sabe onde achar o Sombra, os dois de repente se juntam numa busca frenética aos lugares onde sua arte, repleta de tristeza e fuga, reverbera nos muros da cidade. Mas Lucy não consegue ver o que está bem diante dos seus olhos.

Arte, poesia e amor.

Nunca tinha ouvido falar sobre Graffiti Moon até a Bienal do Rio. A Carina da Editora Valentina me contou como era um de seus xodós e animada para conhecer mais livros juvenis diferentes, não pensei duas vezes.

Uma coisa que gosto muito do trabalho da editora é o cuidado com a tradução do material. Graffiti Moon é um livro que foi super premiado fora do Brasil e foi escrito pela australiana Cath Crowley. Quando uma tradução é bem cuidada, não importa onde/quem/como o livro se desenrola. A chance de você se conectar com a história é ainda maior.

Além da tradução, o que mais chamou minha atenção no livro foi o cuidado da autora ao retratar seus personagens. Tirando os personagens chave, Sombra, Poeta e Lucy, muitos jovens entram em cena. Eu amo quando adolescentes são bem retratados. Quando suas inseguranças, seus medos, suas alegrias ou até mesmo seus sofrimentos são bem abordados, sem exageros, mas com naturalidade. Tudo parece ser muito mais intenso nesse momento de vida, mas amo quando os autores trabalham com cuidado e respeito.

A sinopse do livro apresenta muito bem o que você deve esperar, mas não se engane! Tem muito mais por aí. E mais do que acompanharmos a Lucy em sua busca pelo Sombra, vamos acompanhar uma noite inesquecível para todos os personagens. Uma noite cheia de aprendizado para todos os envolvidos.

graffiti25

O graffiti é uma arte que acabou se tornando marginalizada, e é bem legal como quem não conhece sobre acaba aprendendo a diferença entre pichar e grafitar com o livro e esta é apenas uma das muitas questões sociais que ele aborda. Tudo sempre de forma muito natural, não existem excessos. O ritmo do livro é gostoso e com a escrita leve, os diálogos nunca se tornam cansativos. Uma aventura noturna pode fazer com que o grupo se divida, mas… será? Será que vale a pena? Será que não vale mesmo o risco? Será que eles vão ter como fazer história de uma forma diferente?

É gostoso demais ver como eles refletem e pesam o que vem planejando, o que querem para seus futuros, compreendem suas diferenças, suas necessidades e tentam desvendar seus sonhos. Não, eles não pensam como adultos ou tomam atitudes como adultos. Eles são jovens que estão naquela fase de virada para o fim da juventude e o inicio da vida adulta, mas mesmo sem intenção de impactar os demais com tanta força, eles deixam uma mensagem belíssima. Não só em forma de arte, mas no coração dos leitores também.

Graffiti Moon é um dos livros que eu gostaria muito, muito de ter lido quando tinha 17 anos, 20 no máximo e agora, próxima dos 30, reler e ver tudo o que poderia absorver dele como a minha “nova visão de mundo” se é que vocês me entendem. De fato é um romance totalmente diferente do que eu esperava logo que comecei a ler justamente por conta da sensibilidade. Com os povs do Sombra podemos compreender seus questionamentos com facilidade, com os povs de Lucy vemos determinação, ansiedade e também ficamos maravilhados pelo trabalho de Sombra. A descrição dos grafites, muito mais de como ela os enxerga, mas como os interpreta é um dos destaques do livro. Só que não para por aí. Também temos povs do Poeta para completar o ciclo.

Arte, poesia, amor, aventura, diversão, questionamentos, medos, superações… tudo está ali e bem descrito para que a gente possa aproveitar. Quando você termina o livro, com toda certeza vai se questionar sobre seus sonhos, seus medos, seus desejos, mas sem duvida alguma, sobre a marca que você quer deixar no mundo. Sobre a mensagem que você gostaria de “enviar” para as pessoas.

Leitura mais que recomendada!!!!

Para quem quiser saber um pouco mais sobre o livro, no dia 23 de Janeiro vamos fazer um evento de literatura juvenil na livraria Leitura do Shopping Tacaruna – Recife – e vamos debater sobre Graffiti Moon entre outros títulos que também são YA, mas fora da curva! Vem! Vem! 😉

Abaixo o book trailer da editora Valentina e um fã vídeo super fofo do livro para vocês assistirem e se apaixonarem também!

XoXo