[RESENHA] Para continuar, Felipe Colbert

91X-+jQd0TL._SL1500_

ISBN: 9788581637952

Ano: 2015

Páginas: 224

Língua: Português

Editora: Novo Conceito

Preço Médio: 25,00

Sinopse: Envolver-se com a jovem Ayako é a oportunidade perfeita para Leonardo César esquecer a sua vida tediosa e perigosamente limitada, tudo por culpa do seu coração defeituoso.

Enquanto isso, com a ajuda de seu avô, Ayako tem a difícil missão de manter inacessível um porão de dimensões que vão além da loja de luminárias que ela gerencia, repleto de milhares de lanternas orientais, cujo mistério envolve os habitantes do bairro da Liberdade.

A partir dos crescentes encontros entre Leonardo e Ayako, uma nova lanterna surgirá para os dois. Eles terão que protegê-la com afinco, ou tudo que construíram juntos poderá desaparecer a qualquer momento.

O que ninguém conseguiria prever é que Ho, um jovem chinês também apaixonado por Ayako, colocaria em risco o futuro desse objeto. E com ele, o sentimento mais importante que dois seres humanos já experimentaram.

A maioria dos livros nacionais que tive a oportunidade de ler este ano ou se passavam fora do país ou, em sua maioria, no Rio de Janeiro. Em Para Continuar, Felipe Colbert apresenta o bairro da liberdade com um toque de magia e muito romance.

Engraçado, pois o bairro da liberdade é uma de minhas paradas obrigatórias sempre que tenho a chance de ir a São Paulo com calma. Para alguns é só mais um bairro cheio de gente e de lojinhas, mas para mim não tem nada mais bacana que passear pelas lojinhas e comer nos restaurantes ou na feirinha de rua do bairro. É legal respirar culturas diferentes mesmo dentro do nosso país. E provavelmente por isso a leitura foi super tranquila pra mim. Durante uma noite me vi sorrindo e também bastante apreensiva enquanto lia o livro inteiro.

O grande protagonista é o Leonardo, que sofre com um problema sério no coração. Ele tinha tudo para ser apenas mais um jovem comum, mas por conta de sua saúde frágil, convive com pais super protetores e com medo. Ele é aquele tipo de pessoa que fica se perguntando “e se…?” o tempo todo, embora com razão. Ele não pode nem mesmo ter fortes emoções.

Mesmo se podando, algo muda quando ele conhece uma garota no metrô, mas não tem a chance de saber seu nome. Por dias ele va continuar andando de metrô para ter a chance de encontra-la e no dia que acontece, resolve segui-la para saber um pouco mais sobre sua vida. Ayako trabalha em uma lojinha de luminárias que fica no bairro da Liberdade. Essa loja é de seu avô e muito mais que um simples comércio, junto com ele Ayako tem uma grande responsabilidade. Ela é protetora de um segredo e precisa tomar conta das lanternas que ficam guardadas no porão da loja.

Achei divertido como os dois – Leonardo e Ayako – são personagens tímidos. Confesso que durante a leitura me perguntei se em algum momento ia querer entrar no livro e sacudir os dois, brincar com um “now kiss”, mas o Felipe conseguiu trabalhar bem os personagens sem que ficasse cansativo. Isso também se aplica ao medo do Leonardo. Sua doença foi descoberta quando ele ainda era muito novinho e por ser algo muito complicado ele sempre teve que se limitar. É gostoso ver como ele está conhecendo novos limites enquanto procura conquistar Ayako.

images

Adorei como a cultura oriental foi bem detalhada e não pareceu ser jogada no livro. Desde culinária e comportamento/respeito familiar estão bem representados de forma natural no livro e o elemento fantástico é o que dá o grande diferencial ao livro e faz juz ao nome. E é um elemento fantástico inserido com tanta delicadeza que dá gosto de ler e reler, além de indicar para as amigas que adoram romances!

Para variar, não tenho como não elogiar o cuidado com a diagramação e também a edição do livro como um todo. Este ano a Novo Conceito arrasou demais, mesmo nos livros que não me identifiquei ou não curti as histórias.

Já leu o livro ou pretende? Comenta aí pra gente!

XoXo