[RESENHA] Como se apaixonar, Cecelia Ahern

CAPA-Como-se-apaixonar
ISBN: 9788581637860

Ano: 2015

Páginas: 352

Língua: Português

Editora: Novo Conceito

Preço Médio: 25,90

Sinopse: Depois de não conseguir evitar que um homem acabasse com a própria vida, Christine passa a refletir sobre o quanto é importante ser feliz. Por isso, ela desiste de seu casamento sem amor e aplica as técnicas aprendidas em livros de autoajuda para viver melhor.

Adam não está em um momento muito bom, e a única saída que ele encontra para a solução de seus problemas é acabar com sua vida. Mas, para a sorte de Adam, Christine aparece para transformar sua existência, ou pelo menos tentar ajudá-lo.

Ela tem duas semanas para fazer com que Adam reveja seus conceitos de felicidade. Será que ele vai voltar a se apaixonar pela própria vida?

Tem quem descreva a leitura dos livros da Cecelia Ahern como guilty pleasure, mas eu adoro seus livros justamente por serem leves, extremamente românticos e fofos. Adoro balancear minhas leituras e tirando apenas um livro de sua autoria que não curti, acabam sendo sempre uma boa pedida para uma leitura num momento de preguiça. Só que esse livro em especial me tocou muito mais que qualquer outro da autora.

Em Como se apaixonar vamos conhecer Christine e como ela constrói a sua nova vida. Vale dizer que este é um excelente romance para o fim/inicio do ano, pois as resoluções dela são simples: como viver melhor, como ser uma pessoa mais tranquila, mas agradecida e aí então, como consequencia, mais feliz.

Enquanto Christine está vivendo esse momento mais suave e aprendendo a dar mais valor a sua vida, ela, por acaso, encontra um homem que está prestes a se matar. Ela corre para ajudar Adam, e mesmo quando nem o conhece de fato, consegue impedir que ele se mate e ganha uma grande missão, provavelmente a mais importante de sua vida. Ela vai mostrar ao Adam as coisas boas da vida, dar a ele motivos para continuar vivo, só que ela tem um curto tempo para conseguir este feito.

Quando digo que é um livro lindo e especial para fim/incio de ano, não é a toa. É um livro lindo que faz a gente pensar, questionar, refletir nossas ações. Sabe aquela coisa de plante o bem e colha o bem? Apesar de estar acostumada com o material de seus livros de auto ajuda, Christine não tem noção da diferença que ela está prestes a fazer não só na vida do Adam, mas também na vida de seus leitores. E é isso que eu tanto amo nos livros da Cecelia Ahern! Podem dizer que é piegas, mas sempre toca no fundo do meu coração e me emociona demais!

A caminhada pela redenção do Adam não é simples. Podem até vê-lo apenas como um privilegiado, mas uma vez que uma pessoa perde a vontade de viver, o que podemos fazer para que ela melhore? Para que ela veja o tanto de coisas boas que temos ao nosso redor? E engraçado ler esse livro na mesma semana em que suicídio foi um dos grandes assuntos entre minha roda de amigos. Apesar de a autora tratar a questão de maneira romantizada e trazer o foco para a sua recuperação, para a sua redenção, pela descoberta do amor próprio, é difícil de imaginar como funciona a cabeça de uma pessoa que pensa em acabar com sua vida.

É claro que o romance também está em foco no livro e não poderia sem descrito e construído de maneira mais bonita e delicada. Depois de uma certa idade – ou de passar por certas experiencias na vida – a gente aprende que primeiro temos que ser capazes de nos amar para poder amar o outro. E é essa jornada, que queira ou não Christine também está passando, que torna o livro tão lindo. Enxergar as coisas boas da vida, aprender a se amar e estar pronto para se doar pelo outro.

O livro é redondinho, mas não nego que queria mais. Que se fosse ainda maior, que com toda certeza eu iria me emocionar e torcer a cada página.

A capa é maravilhosa! Eu amei, amei, amei e como vocês já devem saber, sou bem chata com “pessoas” na capa. Além disso, a diagramação e a revisão, como sempre, excelentes. A Novo Conceito tem um cuidado e uma linha editorial que faço questão de elogiar sempre. Desde o começo não vi um livro que não tivesse sido cuidado.

Como se apaixonar é leitura obrigatória para quem curte romance, mas que sem dúvida alguma quer ler um romance humano para valer.

xoxo

[Resenha] A lista, Cecelia Ahern

11057456_951479591552300_570372667053385568_n

 

ISBN: 9788581636832

Ano: 2015

Páginas: 384

Língua: Português

Editora: Novo Conceito

Preço Médio: 29,00

Sinopse: Kitty Logan tem 32 anos e aos poucos está perdendo tudo o que conquistou: sua carreira está arruinada; seu namorado a deixou sem um motivo aparente; seu melhor amigo está decepcionado com ela; e o principal: sua confidente e mentora está gravemente doente. Antes de morrer, Constance deixa um mistério nas mãos de Kitty que pode ser a chave para sua mudança de vida: uma relação de nomes de pessoas desconhecidas. É com base neles que Kitty deverá escrever a melhor matéria de sua carreira. Quando começa a ouvir o que aquelas pessoas têm a dizer, Kitty aos poucos descobre as conexões entre suas histórias de vida e compreende por que foi escolhida para dar voz a elas.

Cecelia Ahern é uma autora que escreveu uma das histórias que marcou muita gente: Ps: Eu te amo.  Pois é, alerta de lencinhos no ar!

A Kitty não está no seu melhor momento em sua vida. Seja como profissional ou pessoal, tudo está de cabeça para baixo. Ela perdeu sua melhor amiga e mentora para o câncer, e acaba pagando muito caro por ter acusado um homem que no final das contas era inocente. Ele a processa e ganha, e seu trabalho como jornalista é questionado.

Suspensa de um dos seus trabalhos, Kitty acaba ganhando uma missão que vai servir não só para homenagear a amiga que faleceu, mas também para desvendar o trabalho que ela iniciou, mas que não existe uma pauta que tenha sido realmente definida. A Kitty vai ser responsável por desvendar não apenas a lista com nomes, mas descobrir quem são aquelas pessoas para poder desenvolver a matéria. Ela acaba conseguindo ter contato com poucas pessoas da lista, mas tendo um tempo muito curto ela está certa de fazer valer o tempo conhecendo cada uma delas e tentando entender qual a ligação entre elas.

Gente… que livro lindo! A Cecelia consegue emocionar a cada pessoa que é conhecida e diferenciar cada uma delas. Foi um livro que assim como PS: Eu te amo, me prendeu, me deixou emocionada, me deixou um tanto irritada e intrigada… Adoro como ela consegue deixar todos os personagens tão reais… tipo, gente como a gente rs. É fácil de se relacionar, então a imersão se torna ainda mais intensa. Eu queria de verdade poder dizer muito mais sobre o livro, mas seria spoiler.

Foi um livro que me emocionou bastante e ver que Kitty estava amadurecendo aos poucos foi muito legal. Sabe aquele ditado de que sempre temos a oportunidade de crescer? Que por pior que estejam as coisas, que a gente pode sim melhorar, pode sim fazer mais? E que cada pessoa tem uma história para contar?

Pega um chazinho, os lencinhos e se senta para ler essa história linda. Só não recomendaria esse livro para ser uma leitura durante a TPM. kkkkk Eu realmente me emocionei, afinal, quem me conhece bem sabe como fico com histórias que tem amizade como ponto principal né? E apesar da protagonista começar a “trabalhar” na lista pela amiga, acaba descobrindo que está fazendo muito mais é por ela mesma!

Espero que tenham gostado da dica!

XoXo