[RESENHA] Dez Formas de Fazer um Coração se Derreter – Sarah MacLean

Ano: 2016

Páginas: 348

Língua: Português

Editora: Arqueiro

Preço Médio: 39,90

Sinopse: Isabel Townsend não é exatamente o que se espera da filha de um conde. Apesar de ter a pele delicada e de saber se portar como uma dama quando necessário, a jovem também monta a cavalo, conserta telhados, administra a propriedade e cria o irmão caçula desde que a mãe faleceu – tudo isso sem despertar a menor suspeita de que não há um homem sequer para cuidar de sua família.
Para o pai dela, que só queria se divertir e gastar dinheiro em jogatinas, pouco importava o que ela fizesse. Porém, quando ele morre, Isabel se vê sem recursos e precisa defender os direitos do irmão, ameaçados pela chegada iminente de um tutor. Assim, não lhe resta saída senão vender sua coleção de estátuas de mármore, o único bem que herdou.
Para sorte sua, um especialista em antiguidades acaba de chegar ao condado. Inteligente e sensual, lorde Nicholas St. John é um solteiro convicto que deixou Londres para se livrar das jovens que passaram a persegui-lo desde que foi eleito um dos melhores partidos da cidade.
Em poucos dias, fica claro para Nick que Isabel é a mulher mais obstinada e misteriosa – além da mais interessante – que já cruzou seu caminho. Ao mesmo tempo, ao conhecê-lo melhor, a independente Isabel percebe que há homens em que vale a pena confiar. Enquanto eles põem de lado suas antigas convicções, seus corações se abrem para dar uma chance ao amor.

É um livro divertido do começo até o fim, Nicholas foi o gêmeo que mais gostei até o momento (sim, ele é irmão gêmeo do Gabriel do primeiro livro da série). O que mais gostei mesmo foi o desenvolvimento dos personagens, as questões em relação a medo, insegurança e segredos foi bem desenvolvido e ao decorrer da leitura você vai evoluindo junto com os personagens e claro que como todo romance de época tem que ter as cenas mais picantes e esse ponto foi outro que foi bem escrito porque não ficou muito explícito.

A forma como o Nicholas reage e age em relação a casa de Minerva me deixou um pouco desconfiada no começo, eu achei que ele não ia aceitar muito bem e ia entregar a Isabel, mas como todo livro de romance tem que existir algum tipo de clichê, ele sabe que está apaixonado por Isabel e por isso quer ajudar Isabel da melhor forma possível. A forma que Isabel trabalha suas inseguranças e medos foi bem desenvolvido e foi o que mais me fez gostar dela.

Só achei que o final poderia ter mais um capítulo, o final para mim teve uma certa pressa em acabar. Gostei muito do livro e já estou ansiosa para o terceiro livro da série.

[CRÍTICA] Minha Mãe é uma Peça 2

minha_mae4

Confesso que fui assistir Minha Mãe é uma Peça 2 com muitas expectativas de que seria bom e foi mais do que eu imaginei. Diria que foi melhor do que o primeiro.

O que me fez amar ainda mais o filme foi que ele me fez refletir o que uma mãe sente quando um filho começa a uma necessidade de ser independente Alguns momentos excessivos que Dona Hermínia tem com os filhos eu me identificar porque eu vejo um pouco disso Na minha casa e finalmente pude ver (ou não kkk) que é apenas uma mãe mãe. Nós chegamos na aborrecença, e / ou começamos a vida adulta queremos ser independentes, ser livre mesmo ainda morando com os pais. Mas nem sempre é assim tão bom quanto esse “dramas” que como mães são só preocupação de mãe.

Mãe acha que seu filho nunca vai crescer, que vai ser seu passarinho para sempre, mas quando ver o seu passarinho criou assas e quer voar. Precisamos de limpar e proteger como se fossem passarinhos bebês. As vezes é exagerado e excessivo? É Mas é uma única forma delas demonstram o quanto nós amamos e só queremos o nosso bem. E o filme retratou muito bem isso com muito amor, humor, alegria e lágrimas. Com certeza será o primeiro a fazer a minha lista de melhor filme de 2016 (sim, ganhando de Rogue One.)

O filme estreia dia 22 de dezembro de 2016, é dirigido por César Rodrigues

[RESENHA] Ônix – Jennifer L. Armentrout

Ônix

Ano: 2016

Páginas: 416

Língua: Português

Editora: Valentina

Preço Médio: 35,90

Sinopse: Estar conectada a ele é uma droga! Graças ao seu abracadabra alienígena, Daemon está determinado a provar que o que sente por mim é mais do que um efeito colateral da nossa bizarra conexão. Em vista disso, fui obrigada a dar um “chega pra lá” nele, ainda que ultimamente nossa relação esteja… esquentando.
Algo pior do que os Arum ronda a cidade. O Departamento de Defesa está aqui. Se eles descobrirem o que o Daemon pode fazer e que nós estamos conectados, vou me ferrar. Ele também. Além disso, tem um garoto novo na escola que, tal como a gente, guarda um segredo. Ele sabe o que aconteceu comigo e pode ajudar, mas, para fazer isso, preciso mentir para o Daemon e ficar longe dele. Como se isso fosse possível!
Até que, de repente, tudo muda. Vi alguém que não deveria estar vivo. E tenho que contar ao Daemon, mesmo sabendo que ele não vai parar de investigar até descobrir toda a verdade. Ninguém é o que parece ser. E nem todo mundo irá sobreviver às mentiras.

O livro começou é claro com o Daemon sendo um babaca insuportável, porém, durante a leitura você vai descobrindo que essa fachada é só uma forma dele demonstrar que se importa com a irmã dele e a Katy. Essa é outra que também está chatinha até dois terços do livro, fica colocando de lado o Daemon e quando ele finalmente deixa ela em paz fica choramigando pelos cantos e esses poderes que ela desenvolve deixou ela ainda mais chatinha. Isso me irritou profundamente e tive que me controlar bastante para não escrever aqui todos os xingamentos que proferir durante a leitura.

Vamos falar agora do Blake, esse assim que apareceu no livro meu lado desconfiado aflorou e fiquei com uma pulguinha atrás da orelha e depois que o Blake assume que é igual a Katy e que conhece os E.Ts eu gritei um “eu sabia” porém continuei desconfiada dele, principalmente com o grande interesse dele de ajudar Katy a treinar e quando fico desconfiada com um personagem é por que ele vai aprontar alguma coisa grande. O novo boy magia da mãe da Katy, o Will, também me deu a mesma sensação e quando chegou na metade do livro a desconfiança só aumentou.

Até dois terços do livro a leitura é bastante chata e arrastada, principalmente para quem não aguenta casal mimimi, mas quando chega perto do final e alguns mistérios vão aparecendo na cidade e uma organização governamental chega junto com esses mistérios ai sim o livro começa a ter uma leitura interessante que faz você querer saber a verdade por trás de todas as mentiras. Finalmente Katy e Daemon dão rumo na vida e para com o mimimi. A big revelação do final me deixou de boca aberta durante 15 minutos e apenas soltei um “puta que pariu” e é nesse livro que você entende que precisa ter uma continuação, mas ainda fico com um pé atras.

Se você é igual a mim que tem fé num livro, eu recomendo o livro. Já que o livro pega ritmo mesmo um pouco depois da metade e conseguiu prender minha atenção.

[RESENHA] A Caminho do Altar – Julia Quinn

A Caminho do Altar

ISBN: 9788580415735

Ano: 2016

Páginas: 320

Língua: Português

Editora: Arqueiro

Preço Médio: 34,90

Sinopse: Ao contrário da maioria de seus amigos, Gregory Bridgerton sempre acreditou no amor. Não podia ser diferente: seus pais se adoravam e seus sete irmãos se casaram apaixonados. Por isso, o jovem tem certeza de que também encontrará a mulher que foi feita para ele e que a reconhecerá assim que a vir. E é exatamente isso que acontece.O problema é que Hermione Watson está encantada por outro homem e não lhe dá a menor atenção. Para sorte de Gregory, porém, Lucinda Abernathy considera o pretendente da melhor amiga um péssimo partido e se oferece para ajudar o romântico Bridgerton a conquistá-la.Mas tudo começa a mudar quando quem se apaixona por ele é Lucy, que já foi prometida pelo tio a um homem que mal conhece. Agora, será que Gregory perceberá a tempo que ela, com seu humor inteligente e seu sorriso luminoso, é a mulher ideal para ele?

 

Com dor no coração eu dou adeus (temporariamente) a essa família maravilhosa que meu deu momentos maravilhosos. Gregory é o 3 da família Bridgerton que eu mais gosto (claro que a primeira é Violet).

Gregory é umas das relíquias da época, ele acredita no amor. Até porque seus irmãos e irmãs são completamente apaixonados pelos seus cônjuges. Num baile na residência do seu irmão Anthony, Gregory fica encantado por Hermione Watson e acha que finalmente achou a mulher da sua vida, porém, Hermione está apaixonada por Sr. Edmonds e não dá a mínima atenção a Gregory. Lucinda Abernathy tenta ajudar Gregory a chamar a atenção de Hermione.

Lucinda está praticamente noiva, seu pai faleceu e ela mora com o tio que arranjou o casamento. Quando Lucinda acha que Hermione ficaria melhor com Gregory e não com Edmonds ela desempenha o papel de ajudar Gregory a conquistar Hermione, mas o tiro sai pela culatra e eles se tornam tão próximos e se apaixonam. Porém, não podem ficar juntos por causa do casamento arranjado.

Quando Lucinda decide terminar o noivado para poder ficar com Gregory o seu tio vai totalmente contra e começa a chantagear para que ela não fique com Gregory, mas nosso querido Gregory não desiste tão fácil e vai tentar de tudo para que o amor da sua vida não se case com o outro. Claro que durante todos os ocorridos teremos super mamãe Violet com seus conselhos e Hyacinth sendo Hyacinth.

E pra saber o que acontece com esses dois eu aconselho vocês a irem ler . Esse livro entrou na lista dos meus favoritos. Li ele primeiramente em inglês, agora li em português e não encontrei diferença entre as duas edições. E isso é uma coisa que a editora não decepciona.

[RESENHA] O RETRATO DA CONDESSA, M. S. FAYES

11813328_485084491664974_6896467871741994340_n

 

ISBN: 9788568839072

Ano: 2015

Páginas: 166

Língua: Português

Editora: Qualis

Preço Médio: 20,00

Sinopse: Num encontro casual, Laura e Vincent veem suas vidas mudarem drasticamente. Passado e futuro se juntam de maneira espetacular, em um amor atemporal. Quando Laura viajou com suas amigas para um hotel charmoso em Londres, não esperava se deparar com um homem elegante e de porte aristocrático em seu quarto. Se Vicent Kildare, Conde de Lilwith, conseguisse usar apenas uma palavra para descrever os eventos que vivenciou, certamente seria “inacreditável”. Dois Mundos diferentes, que colidem e resultam num amor que nem mesmo o tempo pode apagar. 

Esse é o primeiro livro de romance de época brasileiro que eu leio na vida, não sei por que mas sempre sou um pé atras com livros brasileiros (deve ser trauma do tempo de escola).

O livro fala sobre o Conde Kildare que vai a uma festa na casa de um amigo e por está indisposto vai descansar num dos quartos e durante a ida para o quarto ele ajeita o quadro de uma moça que estava torto, quando ele entra no quarto ele vai parar num tempo totalmente diferente e avançado. Nesse mundo tão avançado ele conhece Laura que é a garota que mostra como o mundo mudou muito durante os anos, durante esse processo de descoberta das maravilhas do ano de 2014 eles também irão procurar uma forma de fazer o conde voltar para o seu tempo e até que isso aconteça eles se envolvem de todas as formas.

Depois que o conde volta para o seu tempo a Laura não suporta mais viver sem o conde e acaba indo parar no tempo dele e aceita viver sem tecnologia, luz elétrica e roupas confortáveis só para poder ficar com o conde e durante o processo de adaptação da Laura vão acontecer várias aventuras e loucuras na vida dela.

Os capítulos são curtinhos e é uma leitura que flui com facilidade. É um livro que eu consideraria uma comédia romântica de época. Achei que poderia ter sido um pouco melhor em relação a os personagens principais, o desenvolvimento deles no começo foi muito rápido e quando você menos espera muita coisa já aconteceu e nem chegou na metade do livro. A linguagem do livro poderia ser menos espontânea por ser de época, o fato dos personagens do ano de 1817 aceitarem o comportamento e certas linguagens da personagem de 2014 tão bem me fez perceber que a autora pode ter as vezes esquecido que a personagem principal não estava mais em 2014.

Pra quem quer uma leitura descontraída para um domingo preguiçoso, essa pode ser uma boa escolha.

Bye

NOVA BAGUNCEIRA NA ÁREA

11403047_902018699869364_7030072390950203925_n

Oi gente, tudo bom?

Meu nome é Karol, tenho 20 anos, sou estudante de Recursos Humanos.. Viciada em séries policiais, para assistir a um filme assisto primeiro o trailer, músicas se eu gostar escuto 24h por dia, livros gosto de tudo um pouco e fanfiqueira de plantão.

Sou literalmente bagunceira, odeio arrumar o que eu bagunço, me irrito fácil quando fazem drama sem necessidade e de vez em quando o veneno escorre no canto da boca.

Sou a nova staff do 2DB e espero que gostem dos meus posts.

Prazer estar aqui com vocês e vamos que vamos.