[RESENHA] Dez Formas de Fazer um Coração se Derreter – Sarah MacLean

Ano: 2016

Páginas: 348

Língua: Português

Editora: Arqueiro

Preço Médio: 39,90

Sinopse: Isabel Townsend não é exatamente o que se espera da filha de um conde. Apesar de ter a pele delicada e de saber se portar como uma dama quando necessário, a jovem também monta a cavalo, conserta telhados, administra a propriedade e cria o irmão caçula desde que a mãe faleceu – tudo isso sem despertar a menor suspeita de que não há um homem sequer para cuidar de sua família.
Para o pai dela, que só queria se divertir e gastar dinheiro em jogatinas, pouco importava o que ela fizesse. Porém, quando ele morre, Isabel se vê sem recursos e precisa defender os direitos do irmão, ameaçados pela chegada iminente de um tutor. Assim, não lhe resta saída senão vender sua coleção de estátuas de mármore, o único bem que herdou.
Para sorte sua, um especialista em antiguidades acaba de chegar ao condado. Inteligente e sensual, lorde Nicholas St. John é um solteiro convicto que deixou Londres para se livrar das jovens que passaram a persegui-lo desde que foi eleito um dos melhores partidos da cidade.
Em poucos dias, fica claro para Nick que Isabel é a mulher mais obstinada e misteriosa – além da mais interessante – que já cruzou seu caminho. Ao mesmo tempo, ao conhecê-lo melhor, a independente Isabel percebe que há homens em que vale a pena confiar. Enquanto eles põem de lado suas antigas convicções, seus corações se abrem para dar uma chance ao amor.

É um livro divertido do começo até o fim, Nicholas foi o gêmeo que mais gostei até o momento (sim, ele é irmão gêmeo do Gabriel do primeiro livro da série). O que mais gostei mesmo foi o desenvolvimento dos personagens, as questões em relação a medo, insegurança e segredos foi bem desenvolvido e ao decorrer da leitura você vai evoluindo junto com os personagens e claro que como todo romance de época tem que ter as cenas mais picantes e esse ponto foi outro que foi bem escrito porque não ficou muito explícito.

A forma como o Nicholas reage e age em relação a casa de Minerva me deixou um pouco desconfiada no começo, eu achei que ele não ia aceitar muito bem e ia entregar a Isabel, mas como todo livro de romance tem que existir algum tipo de clichê, ele sabe que está apaixonado por Isabel e por isso quer ajudar Isabel da melhor forma possível. A forma que Isabel trabalha suas inseguranças e medos foi bem desenvolvido e foi o que mais me fez gostar dela.

Só achei que o final poderia ter mais um capítulo, o final para mim teve uma certa pressa em acabar. Gostei muito do livro e já estou ansiosa para o terceiro livro da série.

[CRÍTICA] Minha Mãe é uma Peça 2

minha_mae4

Confesso que fui assistir Minha Mãe é uma Peça 2 com muitas expectativas de que seria bom e foi mais do que eu imaginei. Diria que foi melhor do que o primeiro.

O que me fez amar ainda mais o filme foi que ele me fez refletir o que uma mãe sente quando um filho começa a uma necessidade de ser independente Alguns momentos excessivos que Dona Hermínia tem com os filhos eu me identificar porque eu vejo um pouco disso Na minha casa e finalmente pude ver (ou não kkk) que é apenas uma mãe mãe. Nós chegamos na aborrecença, e / ou começamos a vida adulta queremos ser independentes, ser livre mesmo ainda morando com os pais. Mas nem sempre é assim tão bom quanto esse “dramas” que como mães são só preocupação de mãe.

Mãe acha que seu filho nunca vai crescer, que vai ser seu passarinho para sempre, mas quando ver o seu passarinho criou assas e quer voar. Precisamos de limpar e proteger como se fossem passarinhos bebês. As vezes é exagerado e excessivo? É Mas é uma única forma delas demonstram o quanto nós amamos e só queremos o nosso bem. E o filme retratou muito bem isso com muito amor, humor, alegria e lágrimas. Com certeza será o primeiro a fazer a minha lista de melhor filme de 2016 (sim, ganhando de Rogue One.)

O filme estreia dia 22 de dezembro de 2016, é dirigido por César Rodrigues